Segunda-feira, 22 de Outubro de 2007

POEMA ROXO

POEMA ROXO

Das vestes, que usei em vida,
Um dia vão-me despir!
Só com minha pele vestida,
Para morte hei-de partir!

Minha pele ficará púrpura,
Depois roxa,
Roxa,
E nem que tenha fina finura
Meu corpo será uma trouxa!

Para quê falar da morte?

 

Quem a vida vai vivendo
Sabe que tem a sorte
De a viverenquanto a perdendo!

Assim,
Há que gozar o prazer de viver
Em cada dia que nos levantamos

Rir, com alegria,
E estarmos prontos

Para o dia em que caímos;
Em que nós e outros
Só choramos peles,

Que se tornarão roxas,
De corpos roxos,
Para a morte os carregar,

Como trouxas!
...............xxxxxxxxxxxxxxx.........
Autor: Silvino Taveira Machado Figueiredo
figas de saint pierre de lá-buraque
DR/SPA nº 15727
figariano@sapo.pt
Gondomar-PORTUGAL


tags:
publicado por figas às 10:19
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29


.posts recentes

. Devolvo a palavra

. Caídos no Chão

. Costa:

. Enciclopeidei-o

. Carta para Maria

. Antes que tarde

. Redução do défice

. Copos e mulheres

. PROCESSO DOS VISTOS

. Quando fores pai.

.arquivos

. Fevereiro 2020

. Agosto 2019

. Agosto 2018

. Março 2017

. Maio 2015

. Abril 2015

. Novembro 2014

. Dezembro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Junho 2009

. Março 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds