Segunda-feira, 26 de Março de 2012

Portugal em marcha atrás

 

 

Terça-feira, 6 de Dezembro de 2011

PORTUGAL EM MARCHA ATRÁS!

 

PORTUGAL EM MARCHA ATRÁS!

 

Ó Portugal Portugal,
que déstes grandes mundos ao Mundo,
mas que, no final,
só com teu pequeno Portugal ficaste,
porque tudo perdeste ou tudo gastaste,
a tal ponto,
que chegaste ao ponto de viver do emprestado!

Já tiveste poderio,
já tiveste honra,
agora só tens políticos,
que em desvario
só falam, falam,
bons políticos a prometer,
mas maus governantes de quase nada fazer!

Melhor é ler tua história
do passado,
que nos dá mais consolo,
do que a do presente, tolo,
e ignorar a do futuro,
que se augura desgraçado!

Portugal,
chegaste a um estado,
que ou inventas um novo Portugal
ou nova gente, porque,
a gente que agora tens em ti
não é tua, mas sim do FMI,
e o teu navegar no mar do futuro
não é por aí!

Tens tido tantos revezes
que tens cada vez mais menos Portugueses!
Ai Portugal Portugal!
Tua vida a andar para trás!

Para a frente quando andarás?


.....................xxxxxxxxxx.................. .....
Autor: Silvino Taveira Machado Figueiredo
(figas de saint pierre de lá-buraque)
Gondomar

publicado por figas às 21:31
link do post | comentar | favorito

Mesa vazia

Quinta-feira, 29 de Dezembro de 2011

MESA VAZIA

 

 

MESA VAZIA

 

Deram uma mesa à poesia,

ofereceram-lhe boa comida

e, imaginem, bolos!... e até café!

 

Era suposto a poesia sentir alegria

com tão boa receção,

mas não!

 

Quando os sons da poesia,

começaram no ar a bailar,

eram sons em palavras de tristeza,

porque, a poesia sentia

que naquele dia,

em muita mesa, vazia,

faltava pão!

 

No final,

a poesia ficou triste com a ovação!

 

Bater palmas à tristeza e à falta de

pão?

Não.

 

Melhor seria silenciosa reflexão.

 

……..xxxxxxx…………

Autor:Silvino Figueiredo

(o Figas de Saint Pierre de Lá-Buraque)

publicado por figas às 21:29
link do post | comentar | favorito

Trinta por uma linha

 

Quinta-feira, 5 de Janeiro de 2011

TRINTA POR UMA LINHA

 

 

TRINTA POR UMA LINHA

 

Quem governa faz trinta por uma linha

e aos governados muita mossa,

começam com linha fininha

e acabam com corda grossa!

 

Quando para o governo vão

todos dizem ser bons rapazes,

mas no mercado da corrupção

de peixe enchem cabazes!

 

Dizem que não aumentam impostos,

mas aumentam!

 

Dizem que não cortam nos subsídios,

mas cortam

e vezes amiúde “tratam-nos da saúde”!

Parecer bons rapazes bem tentam,

e quando vão à televisão

que bem que falam e se ostentam

e pensam que o povo se ilude!

 

Fazem trinta por uma linha,

ao povo fazem grande mossa,

começam com linha fininha

mas acabam com corda grossa

para ao povo dar nó, apertado,

e aguardar que um realizador possa

fazer o filme dum povo enforcado!

……….xxxxxxxx……………

Silvino Figueiredo

(o Figas de Saint Pierre de Lá-Buraque)

publicado por figas às 21:27
link do post | comentar | favorito

Sol e sombra

Terça-feira, 3 de Janeiro de 2012

SOL E SOMBRA

 

 

SOL E SOMBRA

 

O sol quantas vezes nos visitou?

Em nós, quantas sombras deixou?

 

Dizem que o sol quando nasce é para todos,

Mas não!

Quando bate no primeiro homem ao segundo

faz sombra!

 

Não há praia que nos valha

Para cada um ao sol estender sua toalha!

 

Nem há mares no deserto

Nem oásis que cheguem

Nem árvores para todos por perto!

 

Quando o sol nasce, baixo,

Ilumina o alto da cidade,

Onde maior é a sombra em mais de metade,

Iluminando mais sul que norte,

Onde reinam sombras e frios de morte!

 

Ó Sol,

Para quando,

Desde quando nos visitas,

Dás a todos as mesmas vistas?

 

Afinal,

Quando nasce não és para todos!

Muitos mentem em teu nome!

Uns aquecem-se a sul,

Outros arrefecem a norte!

 

O sol, desde que nos visitou,

Quantas sombras, nos deixou?

 

Não há praia, que nos valha,

Para cada um, ao sol, estender sua toalha!

Nem sol em cada nascer

Para todos aquecer!

Que fazer?

Cada com viver com seu sol

Sem a outros sombra fazer!

 

………xxxxxxxx……….

Silvino Figueiredo

(Figas de Saint Pierre de Lá-Buraque)

publicado por figas às 21:18
link do post | comentar | favorito

Não há tantos olhares como tantas coisas!

Sábado, 4 de Fevereiro de 2012

NÃO HÁ TANTOS OLHARES

 

 

 

Não há tantos olhares

Como tantas coisas;

Grãos de areia,

Ondas dos oceanos,

Árvores das florestas

Aves dos ares,

Arco-íris dos céus,

Fulgores de auroras,

Rios e fontes,

Serras e montes,

Constelações,

Estrelas,

Paisagens,

Planetas e cometas.

 

Não há tantos olhares

Como tantas coisas!

Como, pois,

Ousamos saber de tudo,

Se em todas as coisas

Nosso olhar não pousamos

A verdade?

Ainda por chegar,

Esta sempre

Além do nosso olhar.

………….xxxxx……….

Autor :Silvino Figueiredo

Figas de Sant Pierre de Lá-Buraque

Etiquetas: SILVINO FIGUEIREDO (O Figas)

publicado por figas às 21:15
link do post | comentar | favorito

A vida é vereda

Domingo, 18 de Julho de 2010

A vida é vereda

 

Mari Carmen Calviño

óleo s/tela

 

A vida é vereda

Sem saída com vida,

Vida nela caminha e medra

Vinda de nascente

A caminho do poente

Sem aurora nascida!

 

A vida melhor sorte merecia,

Mas se fosse eterna

De podre apodrecia!

 

Só a morte é eterna,

Onde cada morte mais vive

Do que enquanto viva vivia!

 

                                        Silvino Taveira Machado Figueiredo

Publicada por Galeria Vieira Portuense

publicado por figas às 21:13
link do post | comentar | favorito

Políticos

Domingo, 18 de Julho de 2010

Políticos

 

José Guimarães

serigrafia

 

Levam mentiras para os palácios,
Roubam do povo cores do arco-íris,
Nos livros escrevem prefácios
Que tornam negro este país

Vivem de exauridos tesouros,
Rapam do povo todos os cobres,
Atribuem-se comendas d’ouro
Por aumentarem os pobres!
Ai esta desgraça sorte,
Deste país,
Deste povo,
Que vive sem rumo,
Sem norte,
E que dele,
Nos palácios fazem um bobo!

Quando é que o povo
Deixa de ser bobo
E aprende a varrer
E a limpar
Para que sobre os seus palácios
Arcos-íris possam pairar?

É azul o céu do meu país,
E seu povo um povo nobre,
Haja quem o saiba fazer feliz
E não dele faça um pobre
E que de norte a sul
Deste país,
Do nosso Portugal,
Predomine o céu azul
E as cores do arco-íris!

 

Silvino Figueiredo

Publicada por Galeria Vieira Portuense

publicado por figas às 21:11
link do post | comentar | favorito

Políticos

Domingo, 18 de Julho de 2010

Políticos

 

José Guimarães

serigrafia

 

Levam mentiras para os palácios,
Roubam do povo cores do arco-íris,
Nos livros escrevem prefácios
Que tornam negro este país

Vivem de exauridos tesouros,
Rapam do povo todos os cobres,
Atribuem-se comendas d’ouro
Por aumentarem os pobres!
Ai esta desgraça sorte,
Deste país,
Deste povo,
Que vive sem rumo,
Sem norte,
E que dele,
Nos palácios fazem um bobo!

Quando é que o povo
Deixa de ser bobo
E aprende a varrer
E a limpar
Para que sobre os seus palácios
Arcos-íris possam pairar?

É azul o céu do meu país,
E seu povo um povo nobre,
Haja quem o saiba fazer feliz

publicado por figas às 21:09
link do post | comentar | favorito

Coração no recreio da mente!

Coração no recreio da mente.

 

As pernas param, mas ele não,

Continua a andar!

 

Mãos descansam, mas ele não,

Continua a trabalhar!

 

A boca come, mas para na digestão.

Ele não!

Continua, até com mais aceleração!

 

O corpo acaba por adormecer, mas ele não,

Continua a bater!

 

Outros membros têm descanso,

Férias, feriados

Ou tratamentos de beleza,

Mas eles não,

Nunca estão parados!

 

Desde que na empresa nados

Têm trabalho continuados,

Sendo os de maior competência

E os mais explorados em toda a urgência!

 

 

 

Mas os sócios da empresa sabem

Que se não forem bem acarinhados,

Se não tiverem atenção devida,

Lá vai à falência a empresa da vida!

 

Membros do corpo podem descansar,

Mas ele; o coração, não!

No amor até trabalha mais acelerado

E nem sempre com beijos é remunerado.

 

Coitados dos corações de vidas oprimidas,

De quem se exige sempre batidas!

 

Libertem os corações.

Deixem-nos recrear no recreio da mente,

Escorregar até à boca,

Brilharem às janelas dos olhos.

 

Levem os corações a passear

Pela avenida da alegria da vida,

Mostrem corações à gente!

Deixem os corações falar francamente.

Verão que trabalham melhor,

De forma continuada,  

Quase ininterruptamente

Para alegria da mente.

 

Andem com os corações

Nas palminhas das mãos.

…………..xxxxxxxxxxx…………………

Autor: Silvino Taveira Machado Figueiredo

(o figas de saint pierre de lá-buraque)

Gondomar

publicado por figas às 10:57
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29


.posts recentes

. Devolvo a palavra

. Caídos no Chão

. Costa:

. Enciclopeidei-o

. Carta para Maria

. Antes que tarde

. Redução do défice

. Copos e mulheres

. PROCESSO DOS VISTOS

. Quando fores pai.

.arquivos

. Fevereiro 2020

. Agosto 2019

. Agosto 2018

. Março 2017

. Maio 2015

. Abril 2015

. Novembro 2014

. Dezembro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Junho 2009

. Março 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds