Sábado, 28 de Setembro de 2013

Teus olhos; doces

Meu amor,
meu amor,
que se meu amor não fosses,
haveria sempre de lamentar
a perda de teus olhos doces!
...............xxxxxxxxxx...........
Autor:
Figas de Saint Pierre de Lá-Buraque

tags:
publicado por figas às 16:01
link do post | comentar | favorito

Par feliz


Não sei prque me quiseste,
não sei porque te quis,
sei que quando apareceste
fizemos um par feliz!
.........xxxxxxxxxx........
Autor: Silvino Figuiredo
Gondomar
tags:
publicado por figas às 16:00
link do post | comentar | favorito

O sangue que em mim corre!


O sangue que em mim corre,
toda a noite, todo o dia,
é sangue que nunca morre;
é sangue de poesia,
e, como se sabe:
a poesia nunca morre!
mesmo quando sai
do corpo, onde corre
e parte, em liberdade!
...........xxxxxxxxxxx..............
Autor:Silvino Figueiredo
Gondomar
tags:
publicado por figas às 15:59
link do post | comentar | favorito

Flor forte!

Há sempre uma flor forte
que nasce dum solo fraco!
como vida nasce da morte,
como no deserto flor de cato!
.........xxxxxxxxxxx...............
Autor:Figas de Saint Pierre de Lá-Buraque
Gondomar

tags:
publicado por figas às 15:58
link do post | comentar | favorito

O ar que tu consomes!

O ar, que tu consomes
Quando abres a boca
Ou que te entra pelo nariz
É parte que comes;
A parte que te toca;
Para te dar um ar feliz!
.............xxxxxxxxxxx.......
Silvino Figueiredo
tags:
publicado por figas às 15:54
link do post | comentar | favorito

Fio de luz

FIO DE LUZ
Fiquei preso a um fio de luz,
Que me amarrou ao azul
Com um nó verde,
Ficando amarelo
Com o castanho do outono!

Eu pertencia a mim,
O fio azul, sem dono,
Levou-me,
Escondeu-se atrás do cinzento,
Não me largando!

O azul é bonito,
Mas, também satura!

Foi quando um raio
Cortou o nó verde,
Que me soltei do azul
E caí no castanho da terra,
Que também satura!
Por isso, d’outra cor da vida,
Ando à procura,
Que me amarre enquanto não satura!
……….xxxxxxxx…………
Autor: Silvino Taveira Machado Figueiredo
(Figas de Saint Pierre de Lá-Buraque)
Gondomar

tags:
publicado por figas às 09:05
link do post | comentar | favorito

Só agora descobri!

Só agora descobri

Só agora descobri
A lei da gravidade,
Olho sempre para ti;
Centro da claridade!

Se cego por ti sou
Disso não me lamento,
A todo lado que vou
Levo tua luz, dentro!

Amor; grande lanterna;
Eterna a sua chama
Seja grande ou pequena,

Mas, quem com amor ama;
Virtude maior terrena,
Ao amor dá maior fama!
……….xxxxxxxxx…………….
Autor:
Silvino Taveira Machado Figueiredo
Gondomar
publicado por figas às 09:04
link do post | comentar | favorito

Ciúmes dos perfumes!

Ciúmes dos perfumes!

Uma flor outra visitava,
A conversa estava animada,
Uma a outra seu perfume mostrava!
Perfumes andavam n ar!
Davam-se bem, as flores!
Porém, cada uma com seu canteiro,
Com seus amores,
Até que chegou o jardineiro;
Logo chegou o ciúme,
O azedume!

Quem iria ele cheirar primeiro?
Cheirou uma,
Nela demorou!
A outra secou
Murchou por inteiro!
……….xxxxxxxxx………….
Autor: Silvino Figueiredo
Gondomar
(Nota: feito após a leitura dos diálogos das flores; da Rafaela Plácido, a quem dedico)
tags:
publicado por figas às 09:03
link do post | comentar | favorito

Porcos limpos!

PORCOS LIMPOS
Acabei agora de saber
Que o mar vai crescer
Em mais de um metro,
Ora aí está boa notícia
Para os porcos,
Cada um o mais esperto,
Criados com pasto do mau ambiente,
Com a ração da poluição,
Agora não têm nada a temer,
O mar vai crescer!
Terão mais mar para se lavar!
E se alguns ficarem à rasca
Lavam-se com….máscara!
Porém, o que pressinto,
É que cada porco sente-se sempre
…………………limpo!
…………xxxxxxxxx……………….
Autor: Silvino Taveira Machado Figueiredo
Gondomar
tags:
publicado por figas às 09:02
link do post | comentar | favorito

vira do poder

Vira do poder.

 

Hoje,

Dia em quem muito presidente

Deixa de receber cunhas,

Deixa de ser influente,

Quase que gente!

Deixa de no poder espetar unhas!

Deixa de usar carimbos

De presidir a reuniões,

De fazer ouvir sua voz,

De receber “mimos”,

De ter a sensação do:

“Eu mando em vós”!

Mas, neste dia de eleições;

Dia de surpresas,

De ingratidões,

Chega o normal sentido

Do;

“Oh, como fui incompreendido!”

 

Enfim, hoje dia de ilusões,

De desilusões,

De ganhos e perdas,

Dia de novos deuses,

Depois, as quedas!

É a vida!

 

É a democracia;

Ora agora mando eu,

Ora agora mandas tu

Em todos os mandados,

Tudo bem!

Dá cá o meu,

Com o resto ficas tu!

 

Hoje é o dia,

Em que dividem o bolo,

Em que se elege muito esperto

Para mandar em muito tolo!

………….xxxxxxxxxxxx…………

Autor:

Silvino Taveira Machado Figueiredo

Gondomar

publicado por figas às 08:59
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
30
31


.posts recentes

. Caídos no Chão

. Costa:

. Enciclopeidei-o

. Carta para Maria

. Antes que tarde

. Redução do défice

. Copos e mulheres

. PROCESSO DOS VISTOS

. Quando fores pai.

. Foto de "Poesia de Dentro...

.arquivos

. Agosto 2019

. Agosto 2018

. Março 2017

. Maio 2015

. Abril 2015

. Novembro 2014

. Dezembro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Junho 2009

. Março 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds