Segunda-feira, 10 de Maio de 2010

Tão perto

Que tão largo oceano nos separa,
que não compreendo
o porquê de me sentir tão perto
sentindo esta brisa na cara!

Numa terra,
lá longe,
neva!
aqui faz sol!

Numa trabalha-se!
Noutra dança-se!
Entre elas a líquida imensidão,
como um deserto!

Duma veio a procura!
Noutra mora a esperança!

De frente para o mar;
líquida imensidão,
como um deserto!
ao atravessá-lo
horas ansiosas vivi,
não compreendendo a imensidão
do oceno que nos separa
e o porquê de me sentir tão perto!

Se estou do lado de cá é
como se "istivesse do ládo di lá"!

Brasil e Portugal estão já ali;
sempre perto do coração!

Um ao outro se chama de irmão!
...........xxxxxxxxxxxx...........
Autor: Silvino Figueiredo
Gondomar

tags:
publicado por figas às 17:32
link do post | comentar | favorito

A natureza da vida!

A Natureza expulsou-me dum ventre e
deu-me vida como sorte, mas
a Natureza, lentamente,
vai-me empurrando prá morte,
depois, meu corpo,
de vida não mais dono, será
como folha; filha de Outono e,
como de costume, será apenas estrume,
que novamente dará vida,
dum ventre, novamente, saída!

É a vida!"
..............xxxxxxxxxxxx....................
Autor deste original inédito:
Silvino Taveira Machado Figueiredo
(o figas de

tags:
publicado por figas às 17:23
link do post | comentar | favorito

Formosas são as palavras!

Formosas são as palavras!

 

Formosas são as palavras;

Sons por lábios burilados,

Meiguices ou duras clavas

Quando são pronunciados.

Palavras leva-as o vento,

Vão em todas as direcções,

São d’amor contentamento

Se presas nos corações!

Palavras, palavras são

Escritas de muitos actos

Duma qualquer relação,

E esperam no imediato

A passagem à acção

Para seu efeito prático.

............xxxxxxxx................

Autor: 

Silvino. T. M. Figueiredo

Gondomar

tags:
publicado por figas às 17:07
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 23 de Outubro de 2007

ANIVERSÁRIO

ANIVERSÁRIO

Aniversário é festa
De quem festa tem
E na vida que lhe resta
Será sempre festa também
As prendas que receber
Lembranças de quem lhe quer bem
Lhe darão alegria de viver
Outros anos que a vida tem
A rica prenda que lhe dou
É a minha maior riqueza
De tudo aquilo que sou
É neste dia ter a certeza
Que a amizade que nos juntou
É a prenda da maior beleza
.............xxxxxxxxxxxxxxx................
Autor: Silvino Taveira Machado Figueiredo
figas de saint pierre de lá-buraque
figariano@sapo.pt
DR/SPA nº 15727
Gondomar-PORTUGAL


tags: ,
publicado por figas às 17:30
link do post | comentar | favorito

TRAÇOS CHATOS

TRAÇOS CHATOS

Um traço
Linha do horizonte
Montanhas
Altares
Vales e abismos
Oceanos
Espelhos mágicos
Fundos trágicos
Desertos apáticos
Camelos circundantes
Corridas de fórmula um
Festas
Foguetes
Pum pum pum
Espectáculos
Clap clap clap clap clap
Muitas palmas

Que bom um arroz de pato
E o coachar do sapo

O mundo é do forte
O fraco escuta o coachar do sapo
É poesia
Mas é chato
Chato

Ao longe
Ouve-se alguém

A rezar a oração

Da encomendação das almas
É chato
.............xxxxxxxxxxxxxxxx...............
Autor: Silvino Taveira Machado Figueiredo
figariano@sapo.pt
DR/SPA Nº 15727
figas de saint pierre de lá-buraque
Gondomar-PORTUGAL

tags: ,
publicado por figas às 17:29
link do post | comentar | favorito

PALMAS

PALMAS

Dia dos fiéis
Recordações dos mortos
Campas cheias de flores
Mortos-vivos absortos
Em frescas dores

Ouve-se tristes lengas-lengas no ar
Como se prendas

Para as almas no seu arengar
Mas

Entendo eu
Se as almas já estão no céu
Então
Porque não lhes bater palmas?!

Clap clap clap.
...............xxxxxxxxxxxxxxxx................
Autor: Silvino Taveira Machado Figueiredo
figas de saint pierre de lá-buraque
figariano@sapo.pt
DR/SPA nº 15727
Gondomar-PORTUGAL


tags: ,
publicado por figas às 17:25
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 22 de Outubro de 2007

GOSTO DO MAR

GOSTO DO MAR

Gosto do mar
Por que será que gosto do Mar?

Gosto de suas ondas a baterem na praia
Da sua fragrância em cambrais de espuma
Gosto de seu nevoeiro e nublosa bruma
Gosto do seu bramar
Da sua obediência à Lua
Por que será que eu gosto do mar

Sei que o Mar dá alegria
Dá dor

Dá mágoa
Mas por que será que eu gosto tanto do mar
Já descobri
Eu dele faço parte
Sou setenta por cento de água
Também obedeço à Lua
Meu amor tem uma
Também obedeço à sua
Meu amor é de luas
Mas eu gosto tanto do mar
Que quando estou em maré vaza
Finjo uma praia ser
Que o meu amor

de amor alaga
Com seu mar no seu encher
..............xxxxxxxxxxxxxxxx..............
Autor: Silvino Taveira Machado Figueiredo
figas de saint pierre de lá-buraque
figariano@sapo.pt
DR/SPA nº 15727

tags: ,
publicado por figas às 16:54
link do post | comentar | favorito

ANTES ERA O VERBO

ANTES ERA O VERBO

Era uma vez.
Naquele tempo.
Antes era o verbo.

É assim o intróito a muitas estórias,
Muito mal contadas.
A que eu mais gosto é da:
-"Antes era o verbo"

Pessoalmente,
Não sei qual a sua conjugação.

Eu,
Por exemplo
Não me sei conjugar!

Talvez,
Se eu fosse mulher
Fosse um verbo de encher

Como homem, não,
Estou sempre a esvaziar-me
Mas ando a ficar cansado para continuar!

Qual o meu verbo?
O de encher ou o de esvaziar?!
...........xxxxxxxxxxxxxxxx................
Autor: Silvino Taveira Machado Figueiredo
figariano@sapo.pt
figas de saint pierre de lá-buraque
DR/SPA nº 15727
Gondomar-PORTUGAL

tags: ,
publicado por figas às 10:55
link do post | comentar | favorito

VELADA

VELADA

O dia finou-se
Estive no seu velório

Vi velas da madrugada
As estrelas a alumiar
A chorar

De suas lágrimas fiz um chá para me aquecer

Depois a noite foi a enterrar
Devagar
No novo dia que acabou por nascer
Baptizado com esperança de bem viver
E quando acabar por se finar
Que tenha estrelas a alumiar
.............xxxxxxxxxxxxxxxx.......
Autor: Silvino Taveira Machado Figueiredo
figariano@sapo.pt
figas de saint pierre de lá-buraque
DR/SPA nº 15727
Gondomar-PORTUGAL



tags: ,
publicado por figas às 10:32
link do post | comentar | favorito

FILHOS

FILHOS

Quem tem filhos,
Ainda rosas em botão,
Sente-os como atilhos
Que atam seu coração!

Filhos,
Afluentes de sentimentos
Do leito do rio de seus pais,
Que,
Por vezes,
Se enche de tormentos,
Em cheias de grandes ais
E de grande aflição!

Mas,
Os filhos são do amor a maior inundação!

 

Sem filhos a vida é um deserto!

 

Sem filhos,
Sem crianças,
O Futuro nunca estará de esperanças.
..............xxxxxxxxxxxxxxxxx..............
Autor deste original inédito:
Silvino Taveira Machado Figueiredo
figariano@sapo.pt
(o figas de saint pierre de lá-buraque)
DR/SPA 15727
Gondomar-PORTUGAL

tags: ,
publicado por figas às 10:25
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
30
31


.posts recentes

. Tão perto

. A natureza da vida!

. Formosas são as palavras!

. ANIVERSÁRIO

. TRAÇOS CHATOS

. PALMAS

. GOSTO DO MAR

. ANTES ERA O VERBO

. VELADA

. FILHOS

.arquivos

. Agosto 2019

. Agosto 2018

. Março 2017

. Maio 2015

. Abril 2015

. Novembro 2014

. Dezembro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Junho 2009

. Março 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds